White Label: o que é, como funciona e principais vantagens

No universo empresarial atual, a busca por soluções eficientes e inovadoras é constante. Nesse contexto, o termo “White Label” tem ganhado destaque, revelando-se como uma estratégia versátil e poderosa para muitos negócios. 

Esse modelo de negócio pode ser muito lucrativo – tanto para empresas que fornecem soluções White Label como para os parceiros que as contratam. Mas afinal, o que significa White Label e quais são as suas principais vantagens? 

Continue a leitura e saiba tudo sobre o tema!

O que é White Label

White Label, traduzido de forma literal do inglês como “etiqueta branca”, refere-se a um produto ou serviço fabricado por uma empresa e vendido por outra sob sua própria marca. Em outras palavras, uma empresa cria um produto ou serviço, e outra a comercializa como se fosse seu próprio, sem necessariamente revelar a origem do produto.

Com esse modelo, é possível colocar em seu portfólio de produtos uma solução já testada e totalmente funcional que você pode vender com sua própria marca, e os clientes podem começar a usar rapidamente.

Como funciona o modelo White Label?

O White Label envolve duas partes principais: o fabricante (fornecedor) e o contratante (revendedor). O fabricante é responsável por desenvolver o produto ou serviço, enquanto o contratante o comercializa como parte de sua linha de produtos, adicionando sua marca e identidade visual.

Na prática, o contratante economiza tempo e recursos que seriam necessários para desenvolver um produto ou serviço do zero, aproveitando-se da expertise do fabricante. Por sua vez, o fabricante expande seu alcance de mercado por meio da parceria com diversos revendedores.

White Label vs Private Label

Private Label é um modelo em que um fabricante vende um produto exclusivo a uma única empresa, sem intenção de vendê-lo para outros negócios. É estabelecido um acordo em que o contratante pode especificar como o produto deve ser, enquanto o fabricante se concentra em atender a esses requisitos e em fazer um produto que não pode ser vendido a mais ninguém.

A principal diferença entre White Label e Private Label é que o primeiro é baseado em produtos personalizáveis que atendem a uma ampla gama de empresas, enquanto o segundo é vendido com determinadas características apenas para uma empresa contratante.

Qual modelo é melhor?

Agora você deve estar se perguntando: qual tipo de solução devo escolher?

A decisão depende do segmento de atuação e necessidades específicas do negócio. Produtos Private Label costumam fazer mais sentido para segmentos como moda, cuidados pessoais e beleza, por exemplo, onde a empresa precisa escolher componentes, aromas, e elementos tangíveis. Já para setores relacionados a tecnologia, por exemplo, White Label é o modelo mais escolhido por sua praticidade, agilidade e custo-benefício.

Sendo assim, o modelo White Label é mais econômico e você pode começar a vender com mais facilidade, evoluindo no mercado com mais rapidez. Entretanto, o produto não será o único e você terá que se destacar de seus concorrentes com uma estratégia de marketing bem definida.

Leia também: 9 estratégias de marketing para se destacar no mercado de meios de pagamento

Exemplos onde o modelo White Label é utilizado

Varejo

Supermercados e grandes varejistas geralmente vendem produtos White Label, que são fabricados por fornecedores terceirizados e vendidos sob a marca do próprio supermercado. Esses produtos de consumo variam de alimentos a produtos domésticos, como produtos de limpeza.

Plataformas de e-commerce

A partir de plataformas desenvolvidas para operar um comércio eletrônico, outras empresas podem criar seu e-commerce próprio sem que seja necessária a criação de um site do zero, eliminando a complexa etapa de desenvolvimento. Um grande exemplo é a Shopify, que permite que em poucos cliques outras empresas possam criar uma loja virtual com identidade própria.

Softwares

Muitas empresas de software oferecem soluções que podem ser personalizadas e revendidas por outros negócios. Esse modelo também é muito aproveitado pelas empresas FAAS (Fintech as a Service), que oferecem plataformas de tecnologia bancária para que outras empresas adicionem produtos e serviços financeiros ao seu modelo de negócio atual, tornando-se fintechs. 

Existem diversas plataformas White Label voltadas para o setor financeiro. Uma delas é a Cappta, que oferece a possibilidade da sua empresa oferecer serviços de pagamentos com sua própria marca, como uma conta digital personalizada.

Leia também: FAAS – Fintech As A Service: o que é e como pode transformar o seu negócio

Principais vantagens de contratar uma solução White Label

1. Agilidade no lançamento de produtos

Ao optar pelo White Label, as empresas podem lançar produtos rapidamente no mercado, evitando os longos períodos de desenvolvimento. Isso é especialmente vantajoso em setores onde a agilidade é crucial para acompanhar as demandas e as tendências do mercado.

2. Redução de custos de desenvolvimento

Já sabemos que desenvolver um produto do zero demanda tempo e esforço, mas também  são necessários investimentos financeiros consideráveis. Ao utilizar produtos White Label, as empresas economizam recursos, já que o trabalho de pesquisa, desenvolvimento e teste é realizado pelo fornecedor do produto White Label.

3. Ampla variedade de oferta

Graças à diversidade de produtos e serviços disponíveis sob a forma de White Label, as empresas ganham a capacidade de oferecer uma gama mais ampla de opções aos seus clientes, atendendo a diferentes necessidades.

4. Escalabilidade do negócio

A possibilidade de escalar rapidamente é uma das maiores vantagens desse modelo. Conforme a demanda aumenta, os contratantes podem expandir seu portfólio de produtos sem a necessidade de investir significativamente em pesquisa e desenvolvimento.

5. Flexibilidade e customização

Embora seja uma solução pronta, a natureza White Label permite a personalização,  agregando valor ao produto final. A empresa contratante pode colocar sua identidade de marca na solução oferecida aos clientes, construindo uma presença de marca mais forte no mercado.

Leia também: Passa a passo para transformar sua empresa em uma fintech rapidamente

Em suma, o White Label surge como uma estratégia inteligente para empresas que buscam crescimento rápido e eficiente. Ao aproveitar a experiência de fornecedores especializados, os contratantes podem expandir seu portfólio, reduzir custos e focar no que fazem de melhor.

Seja para fintechs que desejam lançar produtos inovadores ou empresas estabelecidas que buscam diversificação, a contratação de uma solução White Label oferece uma via estratégica para o sucesso. Ao compreender e implementar efetivamente essa abordagem, as empresas podem posicionar-se de maneira mais competitiva em um cenário de negócios em constante evolução, se destacando no mercado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *